Campanha Janeiro Branco

 “Quem cuida da mente, cuida da vida! Seja mais presente! Viva a vida com respeito! Tenha mais diálogos! Invista em afeto! Cuide da sua saúde! Busque autoconhecimento! Dê-se mais tempo! Viva com mais sentido! Diga não a preconceitos!” Essas são as premissas da 6ª edição da campanha Janeiro Branco.

Segundo a psicóloga Elisiane Gisela Largura Schroeder é comum as pessoas encontrarem a cada mês, alguma campanha com o objetivo de conscientizar a população sobre determinado assunto. “Assim acontece com o Janeiro Branco que apesar de ser uma campanha ‘nova’ traz um tema importante: a saúde mental” observa a profissional ao explicar que a campanha surgiu para desconstruir os tabus sobre o tema.

 A psicóloga ressalta que a saúde mental ainda é uma temática estigmatizada e que a maior parte das pessoas, quando ouvem falar em “Saúde Mental” pensam em “Doença Mental”.

“Saúde mental implica muito mais que a ausência de doenças mentais.
Pessoas mentalmente saudáveis são capazes de compreender que ninguém é perfeito e que todos possuem limites. Enfrentam os desafios e as mudanças da vida cotidiana com equilíbrio e sabem procurar ajuda quando têm dificuldade em lidar com conflitos, perturbações, traumas ou transições importantes nos diferentes ciclos da vida”, enfatiza a psicóloga.

Ainda, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, saúde mental é um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade.

A proposta da Campanha Janeiro Branco é transdisciplinar, e apesar de ter nascido pelas mãos de psicólogos(as), tem por objetivo conscientizar todas as pessoas a refletirem sobre sua saúde mental e qualidade de vida. De acordo com a psicóloga, a exemplo das Campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul o Janeiro Branco traz como simbologia o mês de janeiro e a cor Branca. “Janeiro, por ser o primeiro mês de um ano novo e trazer consigo a esperança de um ano melhor, de novos objetivos e desejos de mudança. E o branco? A cor branca além de ser a somatória de todas as outras cores é a cor faz surgir qualquer outra, assim como a partir de uma folha em branco qualquer história pode ser escrita ou reescrita. O branco possibilita o início ou reinício de qualquer idéia, qualquer criação e engloba toda a pluralidade de possibilidades”, observa Elisiane.

Elisiane afirma ainda que a maior barreira que encontramos quando abordamos a saúde mental, infelizmente, é o preconceito.  “Como profissional da saúde, acredito que esse é o nosso maior desafio, romper o preconceito não é tarefa fácil, mas, imprescindível, se entendermos que inibe a expressão dos sentimentos, principalmente os negativos, impede a busca por ajuda e promove o agravamento do sofrimento das pessoas”.

 

Entrevistada: Elisiane G. L. Schroeder – Psicóloga, especialista em Psicologia Clínica, especializanda em Psicologia Hospitalar e Gestão em Saúde. Atualmente coordena o Serviço de Psicologia do Hospital e Maternidade Oase de Timbó e realiza atendimentos no ambulatório do Hospital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *